domingo, 8 de fevereiro de 2009

Laço

Nos últimos tempos escrevi muito sobre toda coisa. Mas tenho pensado e vivido muito sobre certa coisa. E hoje mais uma vez uma linha de raciocino se fechou, da forma exata e na hora certa.
Em algum tempo, sendo ele pouco para comparação com uma vida, muito foi vivido dentro de um âmbito social, onde muitas peças essenciais para o bom entender de mim hoje, foram adicionadas. Com tais peças, sendo elas pessoas, vivi intensamente muita coisa, vivi uma vida de dois messes, que já não pode ser considerado nada, mas pra muitos já não é lá muita coisa.
Pra mim ta sendo.
Fechei laços com essas pessoas, Que hoje estão presos a mim. Quando a pouco, ai sim podemos de fato falar muitíssimo pouco, olhei pra mim, vi de lá se desfazendo um laço, daqueles mais bonitos, ele foi caindo de mim, achei que era pra sempre, e deixei de dar atenção a ele que ia escorregando aos poucos de mim, e não me esforçava para tentar pega-lo, era o fim dele, do nós.
Enquanto isso vivia lá o outro laço que com construí, sempre e cada vez mais forte, e foi ele que me mostrou, ali preso por um quase nada de coisa alguma o outro laço ainda tava em mim, ainda estava lá nós, ainda tinha alguma coisa de mim que por qualquer motivo queria aquele laço preso.Era eu de certa forma tento contra mim um desejo, de um lado falava o meu eu orgulho, o meu eu mais eu. E do outro falava meu eu que senti, falava meu eu mais novo, meu eu nós.
Percebi, não sei mais se contra ou a favor de mim, que alguns laços não se vão, ficam pra sempre presos a mim, porque foi construído de uma certa forma bonita, que hoje já não quero me ver sem, seja lá como for, e de certo com muitas mudanças, e talvez alguns rasgos indesejáveis mais, quem sabe, reversíveis.

3 comentários:

Flávio Catão. disse...

Que nossos laços se transformem em nós que só nós saberemos como desatá-los!

Te adoro!

Flávio Catão. disse...

Que nossos laços se transformem em nós que só nós saberemos como desatá-los!

Te adoro!

Sara Cohim disse...

que nós sejamos nós!