terça-feira, 22 de abril de 2008

Fatos

Estavam ela, as idéias e os fatos, sentados junto de uma pedra. Uma pedra que nada acrescentava a não ser um apoio. Era isso o que ela mais queria?Acho que com tudo aquilo ali nem ela mais sabia o que querer ou não querer, ficou ali sentada sem nada querer, até que quis... Quis pegar todas aquelas idéias jogadas na sua frente e coloca-las em pratica, e quis pegar os fatos para organizar em suas respectivas gavetas.
Tinham fatos tão velhos ali por baixo que ela nem lembrava se sua existência, que medo que se tinha se lembrar. Lembrar às vezes é ruim, pq trás sentimentos a tona que às vezes demorou-se tanto pra esconder. Agora já era, já tinha puxado lá de baixo todas as idéias, agora estavam ali, todas, olhando pra ela, algumas rindo, outras chorando e todas sentindo. Tantos sentimentos e tantos nomes que hoje nem sei ao certo se sei o nome de tantos nomes, acho mesmo que nem mesmo o papagaio mais apapagaiado de todos, aquele que sabe todo o dicionário, saberia naquela hora o nome de tanto sentimento junto. Sentimentos que se misturavam tanto mais tanto que virava um novo.
Foi nessa hora que ela achou um sentimento que sabia o nome, e como sabia, pq sabia desde sempre que ele tava ali, só não queria acreditar, demorou anos para o esconder e tava tão bem escondido que só apareceu quando ela mexeu nos fatos passados.Era a decepção.Mas o pior de tudo isso é que sua decepção estava decepcionada com ela mesma.E como é horrível sentir um sentimento tão ruim por si mesmo,ela agora tratou de querer mas uma vez alguma coisa,tratou de querer esconder aquilo ali.escondeu na pedra,aquela que não servia para nada...só para ser um mero apoio.Foi ai que ela escondeu o que não queria,ali bem no apoio que ela não ligava muito.deixou lá no apoio o que queria esconder,e notou como era quente e agradável a pedra,e como era bom ter um apoio.e como era ruim sentir alguns sentimentos.E pior ainda era a certeza que nada ia se esconder pra sempre,um dia esse sentimento ia querer fugir da pedra,um dia...

Baseado em “Luna clara e Apolo onze” e em uma vida.

2 comentários:

deixe-se acreditar disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
angeloreale disse...

não seria cruel utilizar os apoios de sua vida apenas para apoiar-se e para esconder sentimentos indesejáveis?

texto angustiante.
me senti num brainstorm.
;)